Aljezur – ZigZag dos riachos

Rota Vicentina – Quarta Paragem 😀

Aquilo que eu vi e vivenciei,

Pureza. Muito ar puro, muito verde. Muito ar do interior no litoral 🙂

O melhor da natureza, um presente quase intocado pelo homem. Nada supera as belezas naturais, os montes verdes, os riachos translúcidos que zigzagueiam até ao mar formando praias fluviais esplêndidas.

Um litoral muito bem preservado. Longe das enormes cidades poluentes e dos hotéis que gananciam cada zona verde de frente para o mar.

 

 

  Esta quarta paragem na rota vicentina é  precisamente o fim do Alentejo e o inicio do Algarve. A primeira Vila Algarvia na costa vicentina é Aljezur, mais concretamente a freguesia de Odeceixe.

 

  Aljezur é um concelho do distrito de Faro, na região do Algarve, Sudoeste de Portugal. Estando na Costa Vicentina, queríamos explorar esta localidade! Antes de partir para o centro de Aljezur, paramos então numa das suas freguesias, Odeceixe.

 

 

Odeceixe

  Seguindo a rota, já que passaria por Odeceixe, planeamos passar nas grandes praias de areal viradas a mar, como as praias que zigzagueiam junto com o riacho de Odeceixe.

 

  Confesso que não sei como cheguei até à praia fluvial. Fomos andando de carro lado a lado com o riacho, não existia informação nem direcções para estas praias, ou como descer até ao riacho. Assim que vimos a estrada a alargar, abandonamos o carro na berma e rebolamos monte abaixo até lá chegarmos. A água estava bastante apetecível, a presença do sol impôs-se, não havia nuvens nem vento, parece que apanhei as condições perfeitas!

 

 

  Com medo que algo acontecesse com o carro, voltamos e seguimos em direcção à praia de odeceixe. Existem parques de estacionamento e boas indicações até à praia.

  De um lado temos a escadaria para a praia de nudismo “Praia das Adegas”, do outro, mais longe um bocado do parque de estacionamento está a praia onde desagua o riacho, “Praia de Odeceixe”.

 

 

 

 Por um lado temos o mar, ondas para desportistas, água um pouco mais fria. Do outro, temos a foz do riacho, muito sossegado, quase sem corrente. Dois mundos distintos no mesmo espaço.

 

 

Aljezur

  Continuando viagem até ao centro de Aljezur, onde iríamos pernoitar, encontramos mais um lugar com as mesmas características. Na Praia da Amoreira, onde desagua o riacho de Aljezur, formando o mesmo zigzaguiar por entre os montes até à praia. Mais um vez, de um lado água salgada e do outro água doce.

 

 

  Para mim, a Vila de Aljezur já ficou marcada por esta característica. É aquilo que ela tem de diferente perante as outras, aquilo que lhe dá carácter e unicidade.

 

 

  É gostoso caminhar por aqui, onde conseguimos apreciar uma paisagem completamente diferente do habitual na costa, no litoral português. Pelo menos no norte, onde vivo.

  A cor limpa da água, a areia clara, o verde da natureza sempre presente. Os barulhos que se ouvem, são apenas os da natureza. Um lugar para relaxar, desligar da tecnologia, esvaziar a mente. Pode parecer exagerado, mas foi aquilo que me apeteceu fazer. Passear com um pé na areia e outro em água. Subir até às falésias e espreitar por entre o verde a linha do horizonte. Foi realmente bom.

 

 

  Nós ficamos alojados na GuestHouse A Lareira. Fica bastante deslocado da praia para quem está a pé, eu diria que a 25 minutos talvez. No entanto fica mesmo à entrada do parque natural, junto da nacional EN 120 e EN 267, pelo que como era só para pernoitar e seguir para sagres era óptimo para nós.

  O quarto ficou-nos por 45€/2 pessoas e incluí um pequeno almoço requintado. Podes contar com ovos mexidos, fiambre, queijo, chourição, uma simples torrada, pão, leite com cereais, fruta, e outros. Mais do que é normal encontrar num alojamento local.

 

 

  Um dos motivos pelo qual escolhemos este alojamento, foi o restaurante A Lareira mesmo por baixo do alojamento. O restaurante dispõe de carta online, e isso facilitou-nos a escolha. Já sabíamos que comidas cozinhavam e que preço iríamos pagar. Podes consultar mais sobre o restaurante aqui.

  Do nosso quarto podíamos ver o Castelo de Aljezur, porque para além de magnificas praias esta cidade tem uma paisagem histórica para visitar.

 

 

O que mais gostei

  Conhecer um Algarve diferente foi sem dúvida o melhor desta paragem! Um Algarve longe dos turistas de todos os cantos do mundo, longe das lojas de presentes, longe dos bares e noitadas, longe dos hotéis de 10 ou mais andares.

  Adorei ver o “interior” no “litoral”. Uma troca de palavras arriscada, mas acho mesmo que é o que melhor define esta localidade.

 

ZigZagueia com os riachos desta Cidade!

 

 

1 Comentário sobre “Aljezur – ZigZag dos riachos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.